terça-feira, 10 de maio de 2011

Morreu Heleno de Freitas

Folha da Noite

9 de novembro de 1959

p.14

 

Morreu Heleno de Freitas

 

Rio, 9 (Folha de S. Paulo)

Às 16h30m de ontem, em Barbacena, faleceu Heleno de Freitas, sem dúvida o mais discutido jogador da história do futebol brasileiro. Internado desde 1954 na Casa de Saúde São Sebastião, daquela cidade mineira, portador de enfermidade mental, o famoso comandante do Botafogo e tantos clubes, como da seleção brasileira, morreu de paralisia geral progressiva. O seu enterramento, segundo decisão da família, será na cidade de São João Nepomuceno, terra natal de Heleno. A vida esportiva do craque falecido, pelos fatos extra-campos, figura entre as mais singulares de todos os tempos.

 

A carreira de Heleno

Apesar de seu temperamento irascível, Heleno de Freitas foi um dos mais destacados centroavantes que tem aparecido no futebol brasileiro. Começou a se projetar à altura de 1940,quando defendia o Botafogo e se tornou o sucessor de Leônidas na seleção carioca e posteriormente na seleção brasileira. Foi "scretchman" nacional 18 vezes, tendo estreado em jogo contra os uruguaios, a 18 de maio de 1944. Por coincidência, sua despedida da máxima representação do "soccer" patrício verificou-se também em peleja contra a celeste olímpica, disputada em 4 de abril de 1948, prélio no qual foi substituído por Adãozinho. Heleno fez 14 gols na defesa da jaqueta "cebedista" e se distinguiu particularmente no Campeonato Sul-americano de Santiago e Buenos Aires realizados nos anos de 45 e 46, respectivamente. Formava,então, ao lado de Zizinho, Ademir (ponta esquerda), Jair e Tesourinha um dos mais perfeitos quintetos ofensivos já formados no futebol nacipnal.

 

Clubes que defendeu

Antes de ingressar no Botafogo, Heleno defendeu o Fluminense, como amador. Deixou o alvinegro carioca para aceitar convite do Boca Juniors, jogando ao lado de Ieso neste clube argentino. Posteriormente, ingressou no Atlético de Barranquilla, na chamada fase de ouro do futebol profissional da Colômbia. Voltou ao Brasil em 49 para defender o Vasco da Gama, onde parou pouco, pois então já não mais conseguia dominar os nervos. Esteve no Santos, também meteoricamente (chegou a brigar com torcedores durante um treino) e por fim, melancolicamente, encerrou a carreira de craque profissional no América carioca, em 1951. Jogu uma só vez pelo clube rubro, a 4 de novembro, brigou com os dirigentes e desapareceu. Já era evidente o desequilíbrio mental que o atormentava e em 1954, por iniciativa de sua própria família, ele foi internado na Casa de Saúde São Sebastião, em Barbacena.

 

Heleno de Freitas, que era filho de Oscar de Freitas e Maria Rita de Freitas, ambos falecidos, deixa um filho, Luís Eduardo, de dez anos de idade. Deixa, ainda, os seguintes irmãos: Oscar de Freiras Filho, dentista; Heraldo de Freitas, coletor federal; Marina de Freitas Braga , esposa do dr. André Duarte Braga e a srta. Vera Maria de Freitas.